quarta-feira, 30 de novembro de 2011

PEC do diploma de jornalismo é aprovada em primeiro turno no senado

By: MARINOR BRITO: - 23:22

Share

& Comment

A senadora Marinor Brito, líder do PSOL no Senado Federal, votou nesta quarta-feira (30), favorável e contribui para aprovação, em primeiro turno, da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 33/2009 que estabelece a exigência do diploma de jornalista para o exercício da profissão.

A PEC do Diploma, como ficou conhecida, foi aprovada por 65 votos a favor e sete votos contra, mas para se tornar lei, será preciso aprovar a proposta em segundo turno. A matéria segue na pauta aguardando um acordo entre lideranças partidárias que permita sua votação.

- Quero elogiar o empenho da FENAJ e de seus sindicatos filiados em todo país pela árdua e aguerrida luta em favor da exigência do diploma de jornalista para o exercício da profissão que dignifica a informação e aperfeiçoa a democracia. Se fossemos avaliar a contribuição do jornalismo para a vida democrática do país, iríamos, sem dúvida, concluir que o Brasil é livre, porque temos em nosso país, uma imprensa livre. E gostaria de concluir dizendo que onde existem cursos superiores de jornalismo é perceptível a contribuição inestimável para o aperfeiçoamento da informação e da democracia, disse.

A PEC 33/2009, de iniciativa do senador Antônio Carlos Valadares (PSB-SE), inclui no texto constitucional o artigo 220-A para estabelecer que o exercício da profissão de jornalista seja "privativo do portador de diploma de curso superior de comunicação social, com habilitação em jornalismo, expedido por curso reconhecido pelo Ministério da Educação". A proposta prevê, no entanto, a possibilidade de atuação da figura do colaborador, sem vínculo empregatício com as empresas, para os não graduados, e também daqueles que conseguiram o registro profissional sem possuir diploma, antes da edição da lei.

A medida tenta neutralizar a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de junho de 2009, que revogou a exigência do diploma para jornalistas. Os ministros consideraram que o decreto-lei 972 de 1969, que exige o documento, é incompatível com a Constituição, que garante a liberdade de expressão e de comunicação. A exigência do diploma, de acordo com esse ponto de vista, seria um resquício da ditadura militar, criada somente para afastar dos meios de comunicação intelectuais, políticos e artistas que se opunham ao regime.

Com informações da Agência Senado e redação final da equipe do blog.

About MARINOR BRITO:

Organic Theme is officially developed by Templatezy Team. We published High quality Blogger Templates with Awesome Design for blogspot lovers.The very first Blogger Templates Company where you will find Responsive Design Templates.

1 comentários:

coord.jor@unisantos.br disse...

Parabéns, senadora. Como jornalista diplomado, tenho que aplaudir a sua posição e o seu voto.
Paulo Bornsen (Santos/SP)

Copyright © 2015 Marinor Brito

Designed by Templatezy & Copy Blogger Themes