domingo, 27 de fevereiro de 2011

BENEDITO NUNES, OBRIGADO!

By: MARINOR BRITO: - 16:56

Share

& Comment

Benedito Nunes (1929-2011)
Aos 81 anos de idade, morreu, na manhã deste domingo (27), o filósofo e escritor paraense, Benedito Nunes.
Autodidata, foi um dos fundadores da Faculdade de Filosofia do Pará, que depois foi incorporada à UFPA (Universidade Federal do Pará). Foi também um dos intelectuais mais respeitados no Brasil com projeção no exterior.
O corpo de Benedito Nunes esta sendo velado na Igreja de Santo Alexandre, na Cidade Velha e o horário do enterro ainda não foi divulgado e na manhã desta segunda-feira (28), será realizada uma missa de corpo presente na mesma igreja.

O filósofo - Benedito José Viana da Costa Nunes, nasceu em Belém do Pará, no dia 21 de novembro de 1929. Definia-se como um: “Eterno aprendiz e autodidata” e descrevia sua obra como “um tipo mestiço das duas espécies, a filosofia e a literatura”. Professor, filósofo, crítico e ensaísta, especializou-se em analisar obras de grandes escritores brasileiros como Clarice Lispector, João Cabral de Melo Neto e Guimarães Rosa..
Benedito Nunes também recebeu o Prêmio Jabuti de Literatura (1987) e o Prêmio Machado de Assis (2010).
Ensinou literatura e filosofia em universidades brasileiras, francesas e americanas. Escreveu artigos e ensaios para jornais e publicações locais, nacionais e internacionais. Aposentou-se como professor titular de Filosofia pela UFPA, tendo recebido o título de Professor Emérito, em 1998. Neste ano, foi um dos ganhadores do prêmio multicultural Estadão.

A obra - É autor de: Encenação de Morte e Vida Severina, no 1º Festival Nacional de Teatro Amador (1958), no Recife, o que lhe valeu o prêmio de melhor adaptação teatral; O Mundo de Clarice Lispector (1966); Poesia de Mário Faustino (1966); Farias Brito: Trovas Escolhidas (1967); O Dorso do Tigre (1969); Leitura de Clarice Lispector (1973); Oswald Canibal (1978); O Livro do Seminário (1983); Passagem para o Poético: Filosofia e Poesia em Heidegger (1986); O Tempo na Narrativa (1988); A Paixão Segundo GH/ Clarice Lispector (1988); O Drama da Linguagem: uma Leitura de Clarice Lispector (1989); O Crivo de Papel (1999) e Hermenêutica e Poesia — O Pensamento Poético (1999).

A Homenagem, o Legado - A senadora Marinor Brito, líder do PSOL no senado federal e o deputado Edmilson Rodrigues lamentaram a perda. Marinor ressaltou a importância do professor Benedito Monteiro para a produção intelectual brasileira nas últimas décadas. “É sempre lamentável quando um grande brasileiro da importância de Benedito Nunes nos deixa”. E ressaltou: “o legado de um homem que dedicou sua vida toda a produzir conhecimento que avançassem o desenvolvimento humano do nosso povo é merecedor de toda homenagem e o que tenho a dizer é muito obrigada”, disse consternada.
O deputado Edmilson Rodrigues (PSOL) disse que: “Benedito Nunes compõe um grupo seleto de pensadores contemporâneos da humanidade e sua importância equivale a de Martin Heidegger, Edgar Morín, Hegel e Karl Marx, cada um ao seu tempo”. E ainda: “Ele – Benedito - é um dos mais importantes críticos literários contemporâneos, de forma que sua morte significa uma perda irreparável para todos nós”, disse.
Foto: Portal UFPA.

About MARINOR BRITO:

Organic Theme is officially developed by Templatezy Team. We published High quality Blogger Templates with Awesome Design for blogspot lovers.The very first Blogger Templates Company where you will find Responsive Design Templates.

0 comentários:

Copyright © 2015 Marinor Brito

Designed by Templatezy & Copy Blogger Themes